"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto". (Rui Barbosa)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

VITORINO FREIRE, UMA CIDADE SUI GENERIS 1

Aqui tem vereador que nunca fez um discurso, aliás, um não, dois. Onde mais isto é possível? Pois bem, hoje falarei deste assunto que me inquieta e ao mesmo tempo me indigna. É verdade sim, a Câmara de Vereadores de Vitorino Freire possui duas destas figuras decorativas que existem em muitas das cidades brasileiras, sejam elas pequenas ou grandes. Em todo lugar por esse Brasil afora existem estes políticos que não fedem nem cheiram e que se servem do cargo apenas para satisfazer seus anseios pessoais, eleitos pelo voto do povo em circunstâncias bem especiais, normalmente explorando-lhes a ignorância e a necessidade.
A Câmara de Vereadores, que deveria ser um espaço de debates acalorados dos problemas e necessidades locais, de discussão de projetos e leis que beneficiem a população do município, acaba se tornando um espaço onde as nulidades predominam. Aliás, nulidade é o que não falta por aqui, ocupando cargos importantes no serviço público que deveriam ser ocupados por pessoas com reconhecida capacidade.
O primeiro e mais peculiar caso é o do vereador Abraão, aliás Abraão Filho. Este rapaz, tranquilo, de aspecto sempre sereno, conseguiu a proeza de se eleger sem nunca ter feito um único discurso, atrelado na figura do pai, que já fora vereador. Abraão pai, diferentemente, adora um microfone. Quando o pega, exalta-se, fala alto, com aquele tom característico dos políticos que se impõem mais pelo discurso que pelas ações. Em todas as ocasiões em que o filho precisou discursar ele estava lá assumindo o papel. Tive a oportunidade de assistir a vários comícios sempre na expectativa de ver e ouvir o rapaz que sempre me decepcionava. Os prognósticos de mesa de bar diziam que o rapaz seria um dos mais votados. Eu duvidava. Elegeu-se, diplomou-se, tomou posse, assumiu a cadeira e até agora ninguém ouviu sua voz. O mandato já está chegando ao fim.
O segundo caso é o da vereadora conhecida como Loura, aliás, loura do Cirineu, seu marido que também já fora vereador e que sempre se apresenta a cada eleição como candidato a prefeito, sem nunca consumar o fato, até porque lhe faltam vários dos atributos para isso, principalmente os votos necessários, suficientes apenas para elegê-lo vereador ou para transferir votos para outro. Ela, se se algum dia discursou em palanque ninguém ouviu. Seu marido sim, em alto e estridente tom, esculhabando os adversários e fazendo promessas estapafúrdias que seriam cumpridas por ela. A loura só assentia. Elegeu-se com bastante votos, muito mais do que deveria.
Da mesma forma elegeu-se, diplomou-se, tomou posse, assumiu a cadeira e até agora ninguém ouviu sua voz, nem apresentou projeto algum que pudesse dar credibilidade ao que ela, digo, ele prometeu.
Fui várias vezes à Câmara assistir às sessões ansioso por ouvir os debates de projetos importantes para o município, mas sempre apresentados por outros vereadores, que se destacam e que assumem a direção dos trabalhos alguns com desenvoltura, outros com uma certa timidez, mas sempre exaltados, defendendo com firmeza as suas idéias. Os dois supra citados estavam lá, porém entravam mudos e saíam calados.
Tudo isso nos leva a questionar a forma como o eleitor tem escolhido os seus representantes. Infelizmente, percebe-se que o que tem determinado a escolha não é a força das ideias, mas a força do investimento financeiro que se faz numa campanha. Sim porque estes dois se elegeram não porque apresentassem bons projetos para o município, mas porque investiram grandes somas de dinheiro numa eleição que certamente lhes trouxe ganhos muito maiores. Se o muncípio foi beneficiado pela eleição destas duas figuras, é difícil dizer. Entretanto, devemos questionar seriamente essa situação, a começar pela falta de formação destas pessoas que são as responsáveis pela elaboração das leis. Eles são os legisladores locais, os responsáveis por todos os projetos que dizem respeito à melhoria das condições de vida da comunidade local. Não é possível que se permita que o destino do povo fique nas mãos de pessoas sem nenhum preparo, com pouca ou nenhuma formação. Já passou da hora de se rever esta possibilidade que a legislação eleitoral e mesmo a Constituição brasileira permitem e que tornam a vida de tantos cada vez mais ruim.

3 comentários:

  1. EXISTEM QUANTOS VEREADORES NA CIDADE DE VITORINO FREIRE?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. enquanto o povo ficar só acreditando nesses filho da puta que fica só fazendo promessa, iludindo-os o vitirino nao vai pra frente é nunca

      Excluir
  2. O que mais me entriga é pq o Abraão (pai) ñ se candidata!
    Alguém sabe o motivo? ;?

    ResponderExcluir