"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto". (Rui Barbosa)

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

O PMDB maquiado

Hoje quebrei uma regra destas que a gente costuma estabelecer para nós mesmos: assisti a um desses programas políticos na televisão. Há muito tempo tenho me recusado a assisti-los pela simples razão de que acho que todos são iguais, para não dar crédito aos políticos e para não me aborrecer. Neles, o discurso é sempre o mesmo, as promessas e mentiras se repetem. Coincidentemente, estava com a televisão ligada na hora do jantar quando começou o espetáculos, digo, o programa. Era do PMDB, este partido, quase tão antigo quanto o Brasil. Digo antigo porque apesar de ter mudado a sigla ao longo do tempo, é apenas uma continuidade de outros que se mantém no poder ou ao lado dele desde que a República existe.
Fiquei estarrecido por dois motivos: primeiro por causa do apresentador, o ator Milton Gonçalves, figura que sempre me transmitiu muita credibilidade, pelo seu talento artístico e história de vida; depois pela imagem que foi apresentada do partido em si, "um partido comprometido com a democracia, com o bem-estar do povo brasileiro, com honestidade". Duas coisas completamente antagônicas.
Primeiro, uma figura como Milton Gonçalves, expondo-se dessa forma para apresentar uma imagem completamente falsa de um partido político é no mínimo degradante. Depois, o partido apresentado representa o que há de pior na política brasileira hoje e sempre. O PMDB é hoje a imagem da corrupção, das falcatruas, do engodo, da roubalheira. Basta ver as figuras que foram apresentadas, Sarney, Renan Calheiros, Roseana Sarney, só para citar alguns. Aliás, Sarney se sobressai por ser o grande mandatário do partido e do Senado brasileiro.
Milton perguntou a ele se depois de tanto tempo na política, havia ficado alguma mágoa, ao que ele respondeu que um homem público não pode ter mágoas de ninguém. Justo ele, que não perdoa aos seus adversários e os persegue como o rolo compressor da máquina do poder que ele possui.
Roseana Sarney posou de defensora e representante das mulheres num país machista e pouco representativo do universo feminino. Também se declarou uma guerreira em defesa dos interesses do povo maranhense. Parece piada, ela que te m tratado o povo maranhense como cachorro, que tem maltratado o funcionalismo público estadual com arrocho salarial, com perdas de direitos adquiridos, com perseguição a quem lhe desagrada. Eu queria que alguém me apresentasse alguma política do seu governo volta da para as mulheres.
Renan, aquele mesmo, Senador dos conchavos, dos esquemas, das amantes, das Alagoas..., que já deveria ter sido condenado ao ostracismo há muito tempo, posando de defensor da democracia. Quanta hipocrisia!
Fora outros que nem vale a pena citar. Enfim, o programa político do PMDB foi uma grande mentira, uma piada mal contada que não vale a pena repetir. Alguns fizeram menção a Brizola, o caudilho gaúcho, ex-governador do Rio de Janeiro, que não era muito diferente dos demais políticos, mas que costumava defender com veemência as suas idéias. Mas o que esperar de um partido que tem se mantido sempre ao lado do poder desde que o Brasil é Brasil.
Enfim, eu não deveria mesmo ter assistido a esse programa mentiroso para não ter que ver a cara de pau dos nomes que citei, mas tenho a mania brasileira de acreditar que esse país ainda pode ser diferente. O que me deixa realmente triste é que um homem como Milton Gonçalves, com o currículo que tem, com o talento que tem, tenha feito o pior papel de sua vida em rede nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário