"De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto". (Rui Barbosa)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

MENSAGEM DE FIM DE ANO

Uma colega me ofereceu "de presente" este lindo texto do nosso grande Drummond e eu o quero oferecer a todos que encaram a vida como uma grande dádiva de Deus e como um constante aprendizado.

AMIGOS

"O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história. O grande lance é viver cada momento como se a receita de felicidade fosse o AQUI e o AGORA.

Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o pneu fura, chove demais..., mas, pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia? Tem sentido ficar chateado durante o dia todo por causa de uma discussão na ida pro trabalho?
Quero viver bem! Este ano que passou foi um ano cheio. Foi cheio de coisas boas e realizações, mas também cheio de problemas e desilusões. Normal. As vezes a gente espera demais das pessoas. Normal. A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou. Normal.

O ano que vai entrar vai ser diferente. Muda o ano, mas o homem é cheio de imperfeições, a natureza tem sua personalidade que nem sempre é a que a gente deseja, mas e aí? Fazer o quê? Acabar com o seu dia? Com seu bom humor? Com sua esperança?
O que desejo para todos é sabedoria! E que todos saibamos transformar tudo em boa experiência! Que todos consigamos perdoar o desconhecido, o mal educado. Ele passou na sua vida. Não pode ser responsável por um dia ruim... Entender o amigo que não merece nossa melhor parte. Se ele decepcionou, passe-o para a categoria 3. Ou mude-o de classe, transforme-o em colega. Além do mais, a gente, provavelmente, também já decepcionou alguém.
O nosso desejo não se realizou? Beleza, não estava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro sempre de um lance que eu adoro): CUIDADO COM SEUS DESEJOS, ELES PODEM SE TORNAR REALIDADE.

Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso. Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, as coisas ficam bem diferentes. Desejo para todo mundo esse olhar especial.

O ano que vai entrar pode ser um ano especial, muito legal, se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso. Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. O ano que vai entrar pode ser o bicho, o máximo,
maravilhoso, lindo, espetacular... ou... Pode ser puro orgulho!
Depende de mim, de você! Pode ser. E que seja!!! Feliz olhar novo!!! Que o ano que se inicia seja do tamanho que você fizer.

Que a virada do ano não seja somente uma data, mas um momento para repensarmos tudo o que fizemos e que desejamos, afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos jus e acreditarmos neles!”.

Autor: Carlos Drummond de Andrade.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

VÃO-SE OS TIRANOS, FICAM OS ÓRFÃOS

Os jornais noticiam hoje a morte do Ditador Norte-Coreano Kim Jong-il, que estava no poder desde 1994 quando sucedeu ao seu pai. Morreu em um trem, aos 69 anos, enquanto visitava uma área próxima da capital, Pyongyang. Era um ditador nos moldes comunistas, daqueles que se mantém no poder por anos graças à força das armas e das ideias. Promovem o culto da própria imagem e fazem o povo acreditar que são verdadeiros “eleitos”. Fazia o povo lhe render homenagens espontâneas ou forçadas. Eram comuns os desfiles militares cheios de pompa.
O povo norte-coreano vive há anos na mais absoluta miséria, desde que o bloco comunista ruiu e com ele as ideias falidas de um mundo “igualitário”. Entretanto, foi chocante ver as pessoas nas ruas da capital e de outras cidades chorando copiosamente a morte de seu “líder”. Um choro sincero e saudoso, como se tivessem perdido aquele que era o sustentáculo de uma nação, porque era assim que ele se apresentava. Para o povo, era um guerreiro que lutava contra o imperialismo capitalista.Para mim, uma enorme contradição num momento em que outros povos derrubam e comemoram a queda de tiranos no Oriente Médio, na chamada Primavera Árabe, e que vejo outras nações começando a contestar o poder absoluto de seus governantes.Na Coréia, nada vai mudar, pelo menos por enquanto, uma vez que o poder será ocupado pelo sucessor imediato de Kim Jong-il, seu filho mais novo, Kim Jong-um, que não parece ser muito diferente do pai. Melhor seria que o povo de lá aproveitasse a oportunidade para expurgar de vez essa praga que são os ditadores.Uma pena que por aqui, algumas ditaduras não caiam nem pela força das ideias, nem pela força do povo e permaneçam no poder há décadas, sem que ninguém os incomode. Refiro-me, principalmente, ao Senador Sarney, donatário do Maranhão e do Amapá, que maltrata o povo brasileiro há tanto tempo e que parece não sentir nem mesmo uma dor na unha. Aqui, sei que com exceção de alguns poucos baba-ovos, ninguém vai chorar a sua morte, ao contrário, vai haver quem queime dúzias e dúzias de fogos.
video

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

O MARANHÃO DAS RAIMUNDAS

Na mesma semana em que o país inteiro se emocionou com a história da menina maranhense Raimunda, de Pinheiro-MA. no Programa do Gugu, da TV Record, no quadro Sonhar mais um sonho, o Estado do Maranhão foi surpreendido por mais um escândalo político, envolvendo o deputado da base governista de Roseana Sarney, Stênio Rezende, naquele que já ficou conhecido como o Escândalo do Babaçu. o episódio passaria despercebido como tantos outros, não fosse a coincidência envolvendo este vegetal tão comum no nosso Estado e que é fonte de sobrevivência para muitas famílias.
Raimunda é uma menina de 11 anos, muito pobre, que mora na zona rural de Pinheiro, com a mãe e mais 7 irmãos, numa casinha de taipa coberta de palha em condições miseráveis, dividindo a casa com porcos e galinhas e que sobrevive, como muitas outras famíias por aqui, graças à coleta e quebra do coco babaçu, vegetal típico da paisagem maranhese. Ela escreveu uma carta para o quadro do programa contando a sua situação, pedindo ao Gugu que a ajudasse a dar uma casa para a sua mãe, que já não tinha mais condições de trabalhar. Ela salientou que já havia aparecido na televisão em um outro programa da emissora, o Câmera Record, quando também chamou a atenção do Brasil, por sobreviver com a família da quebra do coco babaçu.
Este apelo fez com que a produção do programa se comovesse e resolvesse atender ao desejo da menina, que foi surpreendida em sua casa pelo próprio próprio Gugu. Desde o início, a menina chama a atenção de todos por ser muito inteligente, por ser muito pobre e por gostar de cantar. Este é um daqueles quadros da televisão cujo objetivo é emocionar o telespectador, ao mesmo tempo em que pratica o merchandising solidário, em que as empresas fazem doações em troca da propaganda direta.
O programa entatiza vários aspectos do município de Pinheiro, como a localização, as belezas naturais, mas principalmente o estado de miséria em que vive boa parte da população. Só esqueceram de dizer que o município é a cidade natal do Senador vitalício José Sarney, que enquanto Deputado, Governador, Senador, Presidente, nunca lembrou daquele povo que continua vivendo como a maioria do povo maranhense, na miséria.
Gugu o tempo inteiro se mostra surpreso. Com o tipo de moradia (pau a pique), com a falta de saneamento básico, com a falta de higiene do local, com a falta de alimentos, com a falta de assistência, com o tipo de vida que os maranhenses vivem. Nada novo para nós, mas entristecedora a forma como a situação foi desnudada em pleno horário nobre.
Raimunda ganhou uma casa no centro de Pinheiro com conforto jamais imaginado por nenhum membro de sua família miserável. Realizou um sonho. Daqui pra frente é com ela. Que seja muito feliz e consiga um futuro diferente das outras Raimundas maranheses.
Ao mesmo tempo, a imprensa castrada do Maranhão tratou de abafar o escândalo das propinas na Assembléia Legislativa do Maranhão, por envolver "gente grossa" tanto dentro do legislativo quanto no executivo e na família donatária do Maranhão. Uma vergonha, porém fato comum num Estado em que prevalece a vontade de políticos, empreiteiros, empresários com interesses dentro do governo, lobistas. O pior é que nas próximas eleições veremos as mesmas caras fazendo promessas, posando de bonzinhos e honestos. O povo certamente continuará confundindo urna com penico.